Archive for the ‘Nice Stuff’ Category

Off Topic #1: Coisa de Cinema

21 de março de 2011

Já falei aqui do meu vício em blogs de moda. Acontece que uma grande amiga minha se casou há pouco tempo e eu fiz parte daquela fase gostosa dos preparativos: flores, doces, vestido, chá de panela… Por causa disso começou um novo vício internético: os blogs de casamento.

Não tem como não se apaixonar… É cada decoração, cada festa, cada foto dos noivos se olhando apaixonados!! Sim, é coisa de mulherzinha, é perda de tempo pra quem não vai casar tão cedo, mas é de encher os olhos.

Nessa peregrinação por blogs de casamento, descobri que a produção de vídeo nos eventos está ficando, digamos, cinematográfica. A Iris And Light, uma produtora gringa, é um ótimo exemplo disso. Se você assistir a um dos vídeos vai ficar maravilhado com:

1- A qualidade da imagem

2- Os movimentos de câmera

3- Os casais reais num cenário de filme

Essa produtora segue uma tendência bem atual na produção de vídeo: o que chamam de HDSLR. Muita gente não concorda com esse nome, mas consiste basicamente em fazer filmes com câmeras DSLR. O resultado é lindíssimo, como vocês podem conferir nos vídeos da Iris And Light:

Pra finalizar, olha só esse Save the Date super Hollywoodiano. Casamento é coisa de cinema MESMO!

(Via Constance Zahn)

Anúncios

Feriado

9 de março de 2011


Ao contrário da maioria das pessoas, nesse feriado de Carnaval eu fui pra um lugar bem tranquilo e longe da agitação. Tão longe que nem tinha sinal de celular. Lá, junto com meu namorado e alguns amigos, curtimos muitas paisagens naturais, fizemos trilhas, comemos comida caseira e típica do interior.

É bom desligar um pouco dos acontecimentos da nossa vida corrida na cidade. Esquecer emails e ligações e fazer coisas como sentir as pedrinhas do rio com o pé, respirar umar mais úmido e limpo, acorar com os passarinhos, andar na caçamba da caminhonete numa estrada de terra… coisas muito simples e muito boas, que quase nunca temos oportunidade de fazer.

Esse feriado foi assim: simples, mas completo. Aventureiro, mas tranquilo. Uma delícia. É muito bom passar tempo de qualidade com pessoas que a gente gosta.

Deixo aqui alguns momentos desses dias de descanso. Diz aí como foi o seu feriado 😉

Este slideshow necessita de JavaScript.

Por que vale a pena acordar cedo

15 de fevereiro de 2011

Se existem duas coisas que eu amo fazer nessa vida são: comer e dormir. Meu Eu Garfield gasta grande parte do salário com comida e grande parte do tempo dormindo. Bom, nem tanto assim, só no fim de semana mesmo e quando dá. Mas eu adoraria ter mais tempo pra gastar dormindo!

A questão é: dormir é bom. É ótimo! Mas estar acordado e viver também é! Tô tendo que me acostumar a acordar mais cedo e o que tô descobrindo é que, apesar de ser difícil no começo, é bom dormir menos! Se você acorda mais cedo tem mais tempo, o dia rende mais, você pega menos trânsito, respira um ar limpinho e fresquinho de manhã (que eu adoro) e, em tempos de horário de verão como agora, ainda dá pra curtir um nascer do sol filé!

Olha que maravilha acordar com essa pintura na janela:

Dá até mais alegria pra enfrentar o dia! 😀

Vivian Maier

13 de fevereiro de 2011

Vivian Maier foi uma francesa que viveu em Chicago entre asdécadas de 50 e 70. Trabalhava como babá, mas gostava de fotografar nas horas livres, só que não mostrava as fotos pra ninguém. Ela foi descoberta recentemente e chamou a atenção pelo estilo street autêntico, honesto e às vezes até engraçado, como uma crônica.

Eu ando encantada com P&B ultimamente, por isso logo gamei nas fotos dela. Fiquei horas olhando esse blog, onde o autor, John Maloof (o cara que descobriu a obra de Maier), publicou bastante material dela.

Pra entrar no clima de Valentine’s Day vou colocar umas imagens dela que achei fofinhas :), mas vale muito a pena dedicar um tempo pra ver as outras.  São muito boas! Momentos peculiares flagrados na mesmice do cotidiano.

Leia mais sobre Vivian Maier:

The Online Photographer

The Lens Blog

Chicago Mag

The Guardian

Mais sobre a Chica :)

21 de outubro de 2009

Chica, a.k.a Yashica G 35.

Ela começou a ser fabricada em 1968, pela Yashica, no Japão.

A câmera é  “aperture-priority”, isso significa que você escolhe a abertura no anel da lente (de f/1.7 a f/16) e a câmera escolhe a exposição automaticamente (de 1/500s a 30s). É ruim não poder controlar a exposição, até porque às vezes a câmera se engana e a foto fica super ou sub exposta… Maaas, não se pode ter tudo na vida. Hehehe.

Ela é muito silenciosa e estável. Como não é uma monoreflex, na hora do disparo você não ouve aquele barulho dos espelhos mexendo. Só ouve o diafragma abrindo e fechando, um “click” bem discreto.

A lente não é intercambiável, mas dá pra colocar umas auxiliares acopladas à original, que é uma 45mm. Os filtros também são bem-vindos.

É uma câmera com um sistema diferente do das SLR’s. É uma rangefinder. Isso significa que a imagem que se vê no visor não é a que vai pro filme. A imagem da lente é que vai. Quando se olha no visor, há duas imagens: a que entra diretamente no próprio visor e a que vem da lente, assim:

optical_rangefinder copy

No centro do visor há um retângulo amarelo, que é o mecanismo rangefinder. O foco funciona pela sobreposição das duas imagens nesse retângulo: quando as imagens coincidem, a imagem está em foco. A dinâmica da câmera rangefinder é diferente também. O visor não é logo acima do alinhamento da lente, é um pouco mais para o lado, ó:

m8 copy

É importante lembrar dessa diferença na hora da composição pra não ocorrer o famoso erro de paralaxe, principalmente fotografando a pequenas distâncias.

Então é isso. Vou falando mais dela à medida que for aprendendo :D.

Ela começou a ser fabricada em 1968 pela Yashica, no Japão.
A câmera é "aperture-priority", isso significa que você escolhe a abertura no anel da lente (de f/1.7 até f/16) e a câmera escolhe a exposição automaticamente (de 1/500s até 30s). É ruim não poder controlar a exposição, até porque às vezes a câmera se engana e a foto fica sub ou superexposta...
Maaas, a gente não pode ter tudo na vida. hehe
Ela é muito silenciosa e estável. Como não é uma monoreflex, no momento do disparo você não ouve aquele barulho dos espelhos de mexendo. Só ouve um diafragma abrindo e fechando, um "click" bem discreto.
A lente não é intercambiável, mas dá pra colocar umas auxiliares acopladas à original, que é uma 45mm. Os filtros também são bem-vindos.

É uma câmera com um sistema diferente dos das SLR's. É uma rangefinder. Isso significa que a visão que se tem no visor não é a que vai pro filme. A visão da lente é que vai. Quando se olha no visor, há duas imagens: a que entra diretamente no visor e a que vem da lente, assim:

Yashica G35

6 de outubro de 2009

Esse é meu novo velho brinquedinho: uma Yashica G35

É uma câmera super antiga que eu encontrei em casa. Levei pra revisão e ela voltou zeradinha 🙂

Dei umas barbeiradas com o esquema do filme (tinha que ter né) e acabei perdendo algumas fotos com isso, mas de maneira geral gostei bastante do primeiro resultado com a maquininha.

Vou colocar as melhores aqui pra vocês opinarem.

A cunhada já é linda, mas essa foto ficou especial :)

A cunhada já é linda, mas essa foto ficou especial (créditos pro maninho)

Amigas sem testa, mas lindas :)

Amigas bonitas e sem testa

By the way, elas estão sem testa por causa do famigerado erro de paralaxe 😛 (my bad).

Esse charme é de família ;)

Esse charme é de família...

Ah,  um agradecimento super especial para o lindão Marcos, por ter me presenteado com os meus primeiros filmes 😀

Então é isso. Deixem opiniões, críticas, desabafos… 🙂

Logo logo teremos mais fotos da Yashica!

Cápsula do Tempo

8 de setembro de 2009

Para relembrar momentos legais sem precisar fuçar nos seus diretórios do computador, o Photojojo tem uma sugestão. É preciso ter uma conta no Flickr e cadastrá-la junto com seu e-mail no site. Aí você passa a receber e-mails duas vezes por mês com fotos suas de um ano atrás. 🙂

Para saber mais, check Time Capsule.